7 de abril de 2019 admin

Chegou a vez do áudio em realidade aumentada

No Festival de Cinema South by Southwest (SXSW) de 2018, a Bose, marca mais conhecida por suas caixas de som conectáveis, lançou o protótipo dos óculos de realidade aumentada (AR, na sigla em inglês) capazes de funcionar à base de som. Combinando dados de sensores de movimento com informações de GPS do seu celular, os óculos conseguem identificar onde você está e em que direção está olhando. Pequenos alto-falantes focados levam o som aos ouvidos do usuário.

Na edição deste ano do festival, entre 8 e 17 de março, a empresa voltou com outro lançamento: o Bose AR, a primeira plataforma de áudio em realidade aumentadano mundo. A plataforma promete uma experiência surpreendente. Ela está disponível nos fones de ouvido Quiet Comfort 35 II, do fim do ano passado, e nos óculos Bose Frames, já postos à venda, pelo aplicativo Bose Connect.

VOCÊ VAI LER SOBRE ÁUDIO EM REALIDADE AUMENTADA

  • Tecnologia pode ser utilizada por meio de fones de ouvido e óculos com saídas de áudio;
  • A Bose AR pode ser utilizada por aplicativos como o Aira, que dá auxílio a pessoas cegas, e o NaviGuide AR, que apresenta opções de lazer para turistas.

 

A empresa também apresentou os primeiros aplicativos aprimorados para a utilização do Bose AR. Veja, a seguir, alguns exemplos de apps, disponíveis no Brasil, que chamaram a atenção no evento:

Aira

O aplicativo Aira ajuda pessoas cegas a se conectar, pela internet, com agentes treinados, que, por sua vez, utilizam um painel com tecnologia de inteligência artificial para auxiliá-las em suas tarefas diárias, por meio do monitoramento de seus smartphones.

A integração do app com o Bose Frames combina o melhor das duas tecnologias. O resultado é uma nova ferramenta para pessoas cegas ou com deficiência visual, que dá conta de preencher a lacuna de informação visual utilizando o som como guia. O Bose Frames também vem acompanhado de unidades de medição inercial (IMUs) integradas, que fornecem aos agentes informações altamente precisas sobre o contexto direcional de uma pessoa no mundo – mais um ponto positivo para os usuários.

 

Golfshot

A parceria da Bose com a Golfshot permite que golfistas ao redor do mundo tenham uma experiência mais simplificada no decorrer do percurso. Dá para verificar no smartphone a distância até o próximo buraco, por exemplo. Disponível para download e uso com o Bose Frames, o aplicativo oferece toneladas de dados e conselhos, além de estar conectado a 45 mil campos de golfe e disponível em 12 idiomas.

 

Traverse

A escritora Jessica Brillhart e sua empresa Vrai Pictures lançaram o Traverse, uma plataforma de áudio espacial que permite a usuários mapear pontos de referência pelos arredores com a ajuda da tecnologia de AR, proporcionando uma experiência imersiva de áudio.

A opção “From Elvis in Memphis” do aplicativo permite que usuários escutem as músicas de Elvis Presley quando estiverem em uma sala qualquer, promovendo uma experiência sonora semelhante à de estar no estúdio de gravação com o cantor. É possível até andar perto dele e dos membros da banda.

Vrai também lançou uma outra experiência de áudio, chamada “The Arm of InSight”, produzida para remontar uma missão espacial da NASA para Marte.

NaviGuide AR

O NaviGuide AR by Navisens utiliza os fones de ouvido ou os óculos da Bose para explorar uma cidade e descobrir atrações turísticas e restaurantes. Ao tocar no dispositivo Bose AR, o Naviguide apresenta fatos importantes para ajudá-lo a escolher aonde ir, mostrando a avaliação de usuários do Yelp! e o número total de comentários com um simples toque.

 

Enquanto a tecnologia de realidade aumentada para vídeo segue progredindo, a de áudio já está pronta e oferece baixo risco de investimento. Além disso, apresenta outros benefícios: com o áudio no ambiente, somos levados a nos reconectar com o mundo ao redor, deixando de ficar vidrados em telas de smartphones.

Embora o segmento de AR fosse dominado pela Bose no SXSW, a empresa não é a única na área. A Apple tem sido há muito tempo conclamada a entrar no nicho. Ming-Chi Kuo, analista da TF Securities, afirmou que a produção de um fone de ouvido de AR pode começar no final deste ano, com início das vendas programado para 2020. Ainda não se sabe bem o que o dispositivo fará, mas Ming-Chi Kuo o comparou ao Apple Watch — o iPhone faria o trabalho pesado, e não os óculos em si.