Salada de polvo leva pepino em conserva para os dias quentes

Dias quentes pedem uma boa salada. O expert Jun Sakamoto, mestre na arte do sushi e da comida japonesa, divide com a receita da Salada de Polvo do Junji Skamoto do Shopping Iguatemi São Paulo, com pepino em conserva preparado em casa.

Ingredientes:

Pepino em conserva
250 g de Vinagre de arroz
325 g Açúcar refinado
25 g sal
3 Pepino japonês

Preparo do pepino em conserva
Misturar todos os ingrediente ( vinagre de arroz, açúcar refinado e sal)
Pepino: fatiar bem fino os pepinos, salgar levemente e deixar descansar por 20 minutos. Lavar e retirar o excesso de sal. Comprimir bem até que retire toda água. Colocar o pepino dentro da solução de vinagre. O pepino pode ser preparado até 3 dias com antecedência.

Cozimento polvo:

Cozinhar o polvo por aproximadamente 15 minutos com 1 limão. Resfriar e fatiar

Molho de miso:
30 g de Miso vermelho
50 g de vinagre de arroz
15 g de açúcar refinado
5 g de molho shoyu
5 g de pimenta dedo de moça

Misturar todos os ingredientes, reservar.

Montagem do prato:
Retirar o pepino do vinagre e colocar no centro do prato, colocar as fatias de polvos em torno e regar com o molho de miso.

Laudemio, o azeite de oliva mais gourmet do mundo

Enfrentar uma prateleira cheia de azeites de oliva, mesmo aqueles marcados como extra virgens e importados de um país de produção reconhecida, pode ser intimidante para qualquer consumidor. O passeio também pode sair caro, especialmente quando você opta por seleções exclusivas. Uma boa opção é o azeite Laudemio, produzido pela família Frescobaldi, clã que remonta a mais de mil anos na história da Toscana e que vem fazendo vinho e azeite nos últimos sete séculos. Há três décadas, a família lançou sua marca com o objetivo de oferecer o melhor do mercado — e pode-se dizer que conseguiu. A safra de 2018 — o ano vem marcado nas garrafas, característica incomum entre azeites — deve chegar aos Estados Unidos e ao Japão, seus dois maiores mercados, ainda em 2018. Para se ter uma ideia de preçø: a safra de 2017 está atualmente à venda por US$ 45 a garrafa de 500 ml.

O nome Laudemio tem sua origem nos tempos medievais: refere-se à melhor parte da colheita reservada para o senhor feudal. O produto foi elaborado em resposta a uma tragédia: o congelamento da Toscana de 1985 que dizimou a maior parte das azeitonas no campo. “Decidimos relançar o azeite no ano seguinte, fazendo o melhor já feito”, diz Matteo Frescobaldi, parte da 30ª geração da família e agora à frente da linha Laudemio.

Já que as condições climáticas em torno de Florença são as mais extremadas das regiões produtoras de azeite — quentes de dia, frias à noite — e os 741 acres de propriedade da família Frescobaldi estão em maior altitude com condições de vento mais forte, o azeite produzido no local com três variedades de azeitonas é mais rico em nutrientes, tem a cor verde esmeralda e um sabor intenso de gramíneas e alcachofra.

Mas o cultivo é apenas uma parte de um processo extenso e rigoroso: as azeitonas são colhidas assim que começam a amadurecer e moídas no mesmo dia, por cerca de seis horas. É preciso rapidez, porque as que são deixadas em sacos começam a perder nutriente e sabor e ainda podem fermentar. O frescor também é mantido por uma dupla filtragem com 20 filtros de papel; a maioria dos outros azeites é filtrada apenas uma vez ou nem chega a ser. Cada lote do Laudemio é testado para avaliar se as suas características atendem aos padrões estabelecidos por um consórcio de 20 produtores. Se um lote falhar, será marcado como um azeite extra virgem, mas não será um Laudemio.

Já que as azeitonas são prensadas logo no início do amadurecimento, o sabor é vívido, mas a dose de óleo é pequena. Como resultado, a produção é breve: neste ano, devem ser produzidos 50 mil litros. Com a chegada do Natal, pode ser o presente perfeito para um chef gourmet.

Como ter uma mini-horta em sua casa

Nada mais charmoso do que preparar uma refeição com alguns produtos colhidos com as suas próprias mãos, não é? Por isso ter uma mini-horta em sua casa, espaços reservados para plantar e manter verduras, frutas e temperos dentro de casa, estão cada vez mais comuns. Além de práticos e super naturais, esses pequenos pedaços do campo são um sinônimo de saúde, frescor e beleza para a sua mesa.

E, apesar de parecer trabalhoso e complicado, ter uma mini-horta linda e bem cuidada não é uma tarefa impossível. Ao contrário, além de trazer cor e felicidade para sua casa, as hortinhas são ótimas para dar uma força na decoração, além de ser uma tarefa divertida e gratificante.

 

Um cantinho ensolarado

  Antes de mais nada, o ideal é encontrar um espaço arejado e iluminado pelo sol na sua casa. Pode ser uma varanda, um cantinho do jardim, uma janela grande na cozinha… Enfim, um local onde as plantinhas possam receber sol e ar fresco todos os dias.

Vasinhos, canecas ou latas

 Depois de determinar um local bacana, é hora de escolher os recipientes onde suas plantinhas irão viver. Podem ser latas de alumínio, xícaras, canecas, caixotes de madeira, vasos coloridos, vidros ou até garrafas PET e caixas de leite recicladas.

Você pode customizá-los com tinta lousa para escrever os nomes das ervas, pode pendurá-los nas paredes com suportes ou cordas ou pode misturar cores e estilos diferentes e compor a decoração do ambiente com muito charme.

SISTEMA DE HOME THEATER E AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL. CONSULTE E SMART.TOUCH. ATENDEMOS TODA A BAIXADA SANTISTA

Plantar e replantar

 Hoje em dia é bem simples encontrar sementes, fertilizantes e produtos para evitar pragas para hortas urbanas. Supermercados, lojas de produtos naturais e floriculturas já vendem alguns itens fundamentais para quem quer começar a ter plantinhas em casa.

Mas, você sabia que alguns dos alimentos que fazem parte de nossa lista de compras podem ser replantados para sempre? Selecionamos alguns deles para você comprar pela última vez, replantar e ter sempre em casa.

ATENÇÃO: Para desenvolver raízes novas nas pequenas mudas de ervas e plantas, separe um galho completo da erva, retire as folhas, deixando somente as do topo e coloque em um copo com água por alguns dias, trocando a água a cada dois dias. As raízes novas aparecerão em algumas semanas, dependendo da planta.

Hortelã, manjericão – Faça o processo para criar as raízes nas ervas. Quando estas atingirem 2 ou 3 cm, replante em um recipiente grande, pois necessitam de espaço, água diariamente e sol (o manjericão mais sol, a hortelã menos).

Alecrim e coentro – Faça uma mistura de duas partes de areia grossa para uma parte de terra musgo. Faça o processo para criar raízes em ambas as ervas e replante-as nessa mistura. Coloque os vasos em um local ensolarado e regue pouco, de duas a 3 vezes por semana.

Cebolinha, salsão e alho poró – Separe a raiz das folhas. O corte deve manter uma distância de 5 cm das raízes, mantendo ainda as pontinhas verdes. Coloque as raízes em recipientes com água até que comece a brotar folhinhas novas (processo de 5 a 7 dias). Replante-as em vasos com terra adubada e regue uma vez ao dia, molhando também as folhas para não ressecar.

Viu como é simples manter temperos e ervas frescas na sua casa? Além de dar um toque natural à decoração, as plantinhas ainda trazem alegria ao ambiente e são uma fonte a mais de nutrientes sempre a mão.

Cuidados

 Cada planta necessita de um cuidado especial. Algumas pedem mais sol, outras mais água e algumas precisam de poda constante e controle de pragas. Fique atento aos sinais na sua mini-horta e invista em conhecer o que você tem em casa, seja para cuidar bem e ter sempre a mão ou para embelezar receitas e pratos.

As hortas podem ser cultivadas em qualquer casa ou apartamento. Basta um pouco de dedicação e criatividade.

Nem precisa pensar muito. Leia e veja as vantagens de consumir seus próprios produtos orgânicos!

1. Evita problemas de saúde causados pela ingestão de substâncias químicas tóxicas.

2. Alimentos orgânicos são mais nutritivos. Solos ricos e balanceados com adubos naturais produzem alimentos com maior valor nutritivo.

3. Alimentos orgânicos são mais saborosos. Sabor e aroma são mais intensos – em sua produção não há agrotóxicos ou produtos químicos que possam alterá-los.

4. Protege futuras gerações de contaminação química.

5. Garantia de ser 100% orgânico! Você tem certeza de sua plantação é saudável e isenta de qualquer resíduo tóxico.

5 sorvetes mais caros do mundo

De acordo com a ABIS (Associação Brasileira das Indústrias e do Setor de Sorvete), só no ano de 2016 os brasileiros consumiram 1 bilhão de litros da iguaria, responsáveis por um faturamento de R$ 12 bilhões para o setor.

Os norte-americanos, no entanto, continuam na nossa frente como apreciadores de sorvete: o consumo no país chegou a 2,6 bilhões de litros no ano passado. Mas, ao contrário do que muitos pensam, eles não ocupam o 1o lugar no ranking dos maiores consumidores de sorvete do mundo – a posição é da China que, em 2016, saboreou 4,3 bilhões de litros. Para comemorar a data, reunimos opções extravagantes – com valores que chegam a mais de US$ 1 milhão – de delícias que podem ser experimentadas ao redor do mundo.

1. Strawberries Arnaud: US$ 1,4 milhão

Quem quem acha que sorvete de baunilha com morango é algo simples, não conhece o restaurante Arnaud, em Nova Orleans. Por lá, a sobremesa vem com bolas de sorvete de baunilha, morangos, vinho, chantilly e hortelã, além de um anel de diamantes de 4,7 quilates. Para completar a experiência, uma taça de vinho do porto e uma banda de jazz tocando um repertório especial.

2. Absurdity Sundae: US$ 60 mil

A empresa Three Twins Ice Cream preparou uma viagem cujo objetivo específico é experimentar um sorvete muito especial. Primeiro, os viajantes vão até o Monte Kilimanjaro, onde o sorvete será preparado pelo fundador da companhia. O dinheiro arrecadado é doado para uma instituição africana sem fins lucrativos.

3. Frozen Chocolate Haute, US$ 25 mil

O restaurante Serendipity 3, em Nova York, oferece algumas sobremesas com preços exorbitantes. A mais cara delas é o Frozen Chocolate Haute, que traz uma combinação de tipos de cacau raros, leite, creme de leite congelado e pedaços de trufa. No topo, 5 gramas de ouro salpicadas. Para completar, o cliente ainda leva para casa uma colher de ouro e um bracelete de ouro18 quilates.

4. Mauboussin Mega Sundae, US$ 1.000

O restaurante Bagatelle, em Nova York, serve uma taça de sorvete muito especial, montada com trufas de chocolate, sorbet especial de champanhe Dom Perignon, sorvete de baunilha, creme fresco, calda de chocolate com vodca e brownies cobertos com ouro 24 quilates. Junto com a sobremesa, um anel de ouro branco da joalheria francesa Mauboussin

5. Golden Opulence Sundae, US$ 1 mil

Uma opção mais “barata” do restaurante Serendipity 3 é a sobremesa que leva sorvete de favas de baunilha, chocolate e uma folha de ouro. Para dar um sabor a mais, caviar doce, frutas cristalizadas, trufas e marzipan. Para provar o doce, é necessário fazer uma reserva com 48 horas de antecedência.

CONDIMENTOS E TEMPEROS PARA CULTIVAR NA HORTA DO SEU APARTAMENTO

O número de pessoas interessadas no cultivo orgânico em casa não para de aumentar. Tendo em vista os diversos benefícios que o cultivo orgânico traz, é comum que a procura por opções de cultivo caseiras seja cada vez maior.

O primeiro passo para dar início ao planejamento de uma horta em apartamento é escolher bem o local onde ela será montada. Este local deverá receber luz solar direta, ou até mesmo indireta, pois esta, é fundamental para o bom desenvolvimento das plantas. A maioria das espécies necessita de pelo menos quatro horas diárias de exposição ao sol (preferencialmente o da manhã ou do fim da tarde). Mas, é importante lembrar que a preparação da terra, a boa manutenção e a seleção adequada dos cultivares, também são passos importantíssimos.

Quem cozinha sabe que, um dos principais segredos dos sabores presentes nos pratos, são os ingredientes frescos. Além de colir o prato, eles trazem mais saúde as nossas refeições.

Resultado de imagem para HORTA DO APARTAMENTO

Entre os inúmeros benefícios dos alimentos orgânicos estão:

•Ausência de substâncias químicas produzidas pelos agrotóxicos
•Alimentos livres de produtos químicos não têm nem o aroma e nem o sabor alterados
•É um ato positivo no quesito futuro do planeta pois se fundamenta na conservação dos recursos naturais
•Frutas e legumes orgânicos podem ter até 40% mais antioxidantes do que as plantas convencionais
•Ajudam na desintoxicação pois purificam o organismo
•Propicia a maior durabilidade das frutas e legumes

LEIA TAMBÉM: COMO FAZER UMA HORTA EM CASA

A seleção das culturas é uma etapa muito importante e que merece atenção. Opte por hortaliças com raízes curtas, como por exemplo: Alface, coentro, cebolinha, salsa, pimentão, couve-flor, ou até mesmo frutas de pequeno porte. Morango e tomate-cereja são exemplos. Vegetais que desenvolvem longas raízes, como cenoura, mandioquinha e rabanete, não se adaptam bem a solos pouco profundos.

Confira alguns dos cultivares ideais para cultivo em apartamentos.

Alecrim

O alecrim é ideal para quem não dispõe de muito tempo para se dedicar ao cultivo. A espécie adapta-se facilmente a diferentes temperaturas desde que não sejam muito altas ou baixas. O solo para plantio de alecrim deve ser regado com frequência. No entanto, depois de desenvolvida é possível que ela fique até 3 dias sem ser regada. Pode ser colhido 90 dias após ter sido plantado. O alecrim pode ser usado em diferentes tipos de carnes, peixes e batatas.

alecrim

Orégano

O orégano sobrevivem a temperaturas extremas, porém o ideal é plantá-lo em locais onde a temperatura se mantenha entre 21°C e 25°C. A planta necessita de, pelo menos, 4 horas de luz solar direta. O solo que recebe esta planta não deve ficar nem muito seco, nem muito úmido. As folhas podem ser colhidas após a planta atingir cerca de 20 cm de altura. Uma dica bem legal é que quanto mais tempo o orégano estiver exposto ao sol, mais aromáticas serão suas folhas. Pode ser usado em molhos, assados e pizzas.

orégano

Hortelã

A hortelã merece uma atenção, pois possui raízes invasoras que não gostam de vizinhos. Sendo assim, é necessário que o plantio dela seja realizado em vaso. Até porque sua raiz é muito profunda e diretamente no solo ela poderia se tornar uma praga. Deve ser plantada em locais protegidos do vento e em que a temperatura seja amena. O solo precisa ser mantido úmido. A hortelã é uma planta que precisa de bastante água. Quando a planta está ganhando flores o sabor e o aroma são mais intensos, por tal motivo é recomendada a colheita nesta época. A hortelã pode ser usada em sumos, molhos, grelhados, assados, sobremesas e na decoração de pratos.

hortel

Automação Residencial ajuda a tornar a maior parte dos equipamentos eletrônicos da sua casa automático. Imagine controlar o ar condicionado, a televisão, as luzes, a cortina ou mesmo a irrigação do jardim com alguns cliques no seu iPhone ou no iPad. É a sua casa inteligente com automação residencial. SOLICITE ORÇAMENTO

Manjericão

Esta querida e super perfumada planta precisa ser cultivada em locais em que a temperatura seja superior a 18°C e com bastante exposição solar. Pelo menos 3 horas de luz solar direta diárias são necessárias para a planta. Assim como a hortelã, o manjericão é uma planta que necessita de bastante água, por isso é necessário regá-lo diariamente mas de forma moderada para que não o encharque. A colheita das folhas pode ser feita entre 60 a 90 dias após o plantio. Use o manjericão em carnes brancas (frango, perú), omeletes, molhos para massas e carnes.

manjericao001

Sálvia

A sálvia gosta de temperaturas baixas ou amenas. A planta necessita de 2 horas ou mais de exposição solar. O solo deve ser mantido úmido mas caso as temperaturas sejam baixas regue com moderação. A colheita deverá ser realizada quando as plantas estiverem bem desenvolvidas, entre 90 a 120 dias após o plantio. Use a sálvia para decorar pratos e no tempero de carnes gordurosas.

salvia

Salsa

Esta verdinha aprecia muito temperaturas amenas que não ultrapassem os 22°C. Caso não seja cultivada nesta condição começará a dar flor de forma precoce. A salsa deve ser mantida em locais com sombra parcial para que esta absorva a luminosidade mas que não permita que a planta fique exposta demais a altas temperaturas. O solo deve ser mantido úmido mas nunca encharcado. A colheita é feita quando a planta atinge entre 12 a 16 cm de altura (60 a 90 dias após ter sido plantada). A salsa é geralmente usada em omeletes, sopas, saladas, assados de carne e suflês.

salsa_jatefalei

Cebolinha

A cebolinha cresce melhor em temperaturas indo de 13°C a 24°c, mas há cultivares que podem suportar baixas temperaturas e há cultivares que podem crescer bem em altas temperaturas. Para o bom desenvolvimento ela necessita de luz solar direta por ao menos algumas horas diárias. Em relação ao solo, deve ser bem drenado e rico em matéria orgânica. Ela se desenvolve bem em diversos solos, menos solos sujeitos a encharcamento e os muito ácidos. Por tal motivo, o solo deve ser irrigado com frequência mas nunca de maneira que fique encharcado. A colheita de folhas da cebolinha pode começar entre 75 e 120 dias após o plantio. As folhas devem ser colhidas por inteiro, junto à base, e não pela metade. A planta também pode ser colhida inteira, para aproveitamento do pseudocaule. Neste caso a colheita é realizada por alguns horticultores cerca de 3 meses após o plantio, enquanto outros deixam a planta crescer por 9 meses ou mais.

cebolinha

Folha de louro

O louro também pode ser plantado a partir de sementes em um pequeno vaso. No entanto, como ele cresce bastante, pode ser necessário transferi-lo para um espaço maior, de acordo com o seu desenvolvimento. O ideal é colocá-lo perto de uma janela que não receba luz solar direta. Ele também precisa de boa ventilação e não muita água.

folha-de-louro

Cerefólio

O cerefólio é uma erva muito parecida com a salsa. Ele se dá bem com temperaturas baixas e o ideal é que seja plantado no final do verão ou início do outono.

cerefolio-planta

Tomilho

O tomilho (Thymus vulgaris), família Lamiaceae, é um subarbusto aromático da família das labiadas. É famoso pelo sabor picante e é uma especiaria que vale a pena ter no jardim, pois além de enfeitar os canteiros, faz bem à saúde. Ele é um grande conhecido entre as pessoas que gostam de cozinhar ou desfrutar de boas receitas. Vai bem em carnes vermelhas, molhos, legumes e peixes. O tomilho é uma erva rústica, que não precisa de muitos cuidados. Na região da Provence, na França, chega a crescer espontaneamente entre pedras, devido ao solo seco e rico em calcário. O tomilho não precisa de muita água. A dica para descobrir se é hora de regar é colocar o dedo na terra e só molhar a planta se o substrato estiver seco. O tempero também não é exigente quando à adubação. Quando a planta estiver com 15 cm – o que acontece cerca de 15 dias após o plantio da muda, ou em 60 dias no caso do plantio por sementes -, os ramos já podem começar a ser podados e usados na culinária. Corte-os com uma tesoura e jamais arranque apenas as folhas, pois isso danifica a planta.

tomilho

As opções de cultivo em apartamentos são diversas e variam de acordo com o gosto pessoal de cada um.

Há como preparar hortas em vasos. Hortas em jardineiras. Hortas de parede. O fator principal é o local que necessita de luz solar, e a manutenção das plantinhas. E assim você terá uma horta em apartamento.

Vinhos importados que combinam com o inverno

Com esse friozinho que chegou  e uma boa pedida é um bom vinho pois o inverno é a estação ideal para apreciar alguns tipos específicos de vinhos. Muitos rótulos, inclusive, combinam com pratos comuns desta época do ano.  Wallace Neves, embaixador dos Vinho do Alentejo no Brasil e professor da Associação Brasileira de Sommeliers (ABS), elegeu 15 vinhos de diferentes partes do mundo favoráveis para serem tomados no inverno.

Confira a seguir a seleção e a avaliação do especialista para cada  rótulo

1º – Casa Agrícola Alexandre Relvas

Origem: Alentejo, Portugal
Tipo: Tinto
Avaliação: Possui uma cor Rubi, com aromas de frutos negres e especiarias. No paladar é equilibrado realçando sua maciez e suavidade.

LEIA TAMBÉM: BOAS RAZÕES PARA SUBSTITUIR A CERVEJA PELO VINHO

 

2º – Baron K Riesling Kabinett

Origem: Rheingau, Alemanha
Tipo: Branco
Avaliação: Possui uma cor branco papel, com muito brilho. Aromas cítricos e um toque mineral. No paladar é intenso com boa persistência.

3° – 3 Stones Sauvignon Blanc

Origem: Marlborough, Nova Zelândia
Tipo: Branco
Avaliação: Possui coloração palha com notas de maracujá e acidez marcante.

4º – DOC de Borba (Borba Reserva Rótulo de Cortiça Tinto)

Origem: Alentejo – Portugal
Tipo: Tinto
Avaliação: Possui cor é rubi com reflexos violáceos, boa acidez e frescor, com aromas de ameixas, framboesa, um perfume floral, de sabor intenso e persistente.

5° – Tempus Two Shiraz

Origem: South Eastern, Austrália
Tipo: Tinto
Avaliação: Possui coloração rubi escuro, com aromas de compotas de amoras, ameixas e paladar de médio corpo com taninos bem integrados.

GARANTIA DE SONORIZAÇÃO ADEQUADA, COM EQUALIZAÇÃO PERFEITA PARA AMBIENTES FECHADOS E IMAGEM EM ALTA DEFINIÇÃO. TUDO PARA QUE VOCÊ E SUA FAMÍLIA TENHAM O MELHOR DO CINEMA SEM PRECISAR SAIR DE CASA. SOLICITE ORÇAMENTO

 

 

6º – Baron K Riesling Kabinett

Origem: Rheingau, Alemanha
Tipo: Branco
Avaliação: Possui uma cor branco papel, com muito brilho. Aromas cítricos e um toque mineral. No paladar é intenso com boa persistência.

7º – Scala Coeli Reserva Petit Verdot

Origem: Alentejo, Portugal
Tipo: Tinto
Avaliação: Possui coloração vermelho vivo escuro, quase lilás, com aromas de frutos negros, café, chocolate e baunilha. No paladar é encorpado.

8º – Franschhoek Cellar The Stone Bidge Pinotage

Origem: Western Cape, África do Sul
Tipo: Tinto
Avaliação: Possuiu coloração vermelho rubi com aromas de cereja, cravo e framboesa. No paladar é longo e persistente.

9° – QP Regional Alentejano 2009

Origem: Alentejo, Portugal
Tipo: Tinto
Avaliação: Possui coloração rubi e reflexos alaranjados, aromas de compotas de frutas vermelhas e especiarias. No paladar ele é agradável e elegante, com taninos macios.

10° – Simcic Marjan Sauvignonasse

Origem: Dobrovo, Eslovênia
Tipo: Branco
Avaliação: Possui coloração amarela palha com reflexos dourados, aromas de maçã e amêndoa, acidez sápida e salinidade que envolvem o paladar.

11° – Pera Manca Branco

Origem: Alentejo, Portugal
Tipo: Branco
Avaliação: Possui cor citrina e aromas complexos de frutas, mineralidade, persistente e fino. No paladar tem bom corpo a acidez.

12º – Domaine Sigalas

Origem: Santorini, Grécia
Tipo: Tinto
Avaliação: Possui coloração rubi média. Com aromas de ameixas maduras, ervas e couro, no paladar possui personalidade e taninos firmes.

13º – Weingut Hiedler Grüner Veltliner

Origem: Langenlois, Áustria
Tipo: Branco
Avaliação: Possui coloração palha com reflexos esverdeados. Com aromas elegantes que lembram limão e maçã verde, o vinho possui uma ótima textura no paladar.

14°- Refosco Colli Orientale

Origem: Friuli, Itália
Tipo: Tinto
Avaliação: Possui coloração cor rubi violáceo, com aromas de frutas negras, na boca possui bom corpo e ótima acidez.

15° – Ixsir Altitudes Tinto

Origem: Bautron, Líbano
Tipo: Tinto
Avaliação: Possui coloração rubi com tons violáceos. Com aromas de frutas negras, especiarias e baunilha, no paladar possui um bom equilíbrio com média acidez.

Arraial Gastronômico Beneficente em Boiçucanga reúne chefs renomados em prol do Projeto Buscapé

Projeto Buscapé arma VI edição do Arraial Gastronômico em Boiçucanga

Boiçucanga, no litoral de São Paulo, vai ficar mais agitada nos dias 21, 22 e 23 deste mês. O motivo? O Projeto Buscapé, que existe desde 2006 e oferece aulas de culinária, além de atividades culturais e esportivas para crianças e jovens de baixa renda da região, organiza nessas datas a VI edição do Arraial Gastronômico, que tem como principal objetivo arrecadar dinheiro para o projeto criado pelo chef Eudes Assis.

Canjica com farofa de paçoca salgada do Chef Patisserie Igor Arantes.

Neste ano, vários chefs já confirmaram presença, entre eles Lucas Corazza, Marcelo Corrêa Bastos, do Jiquitaia, Igor Arantes do SoulDoce, Ivan Ralston, do Tuju, Juliano Valese, do Torero Valese, Norberto, do Frangó, Checho Gonzales, da Comedoria Gonzales – é a oportunidade de provar iguarias locais receitas premiadas  e saborosas como a Canjica com farofa de paçoca salgada(foto) do Chef Patisserie Igor Arantes. Tudo em clima de lá em casa, com música boa e animação nas alturas. Todos os pratos custarão entre R$5 e R$15 e a arrecadação será revertida em prol da instituição. Agende-se!

Arraial Gastronômico do Projeto Buscapé
Entre os dias 21 e 23 de julho – 19h às 0h
Praça do Por do Sol – Praia de Boiçucanga – São Sebastião – SP
Entrada Grátis

Fonte: http://glamurama.uol.com.br

Boas razões para substituir a cerveja pelo vinho

cerveja é de longe a bebida alcoólica mais consumida no Brasil. Assim como o futebol, ela é também considerada paixão nacional. Mas, de uns tempos para cá, outra bebida tem roubado a cena e conquistado o paladar dos brasileiros: o vinho, seja ele tinto, branco, espumante ou até de mesa.

De acordo com os últimos dados divulgados pela Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), o Brasil ocupa a posição de número 20 no ranking global dos países com o maior consumo per capita da bebida. Por aqui, dois litros de vinho são consumidos por pessoa anualmente.

Outro dado interessante comprova o quanto a bebida vem se popularizando no quesito venda. Nos últimos cinco anos, a comercialização de vinhos finos e espumantes brasileiros e importados no mercado interno cresceu mais de 16%. Segundo o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), no ano passado, mais de 128 milhões de litros de vinho foram vendidos no Brasil. Em 2011, esse número era de pouco mais de 110 milhões de litros.

Estatisticamente, a competição entre o consumo de cerveja e de vinho no país é desleal. O brasileiro bebe em média 80 litros de cerveja por ano, de acordo com dados da Euromonitor. O Brasil é o 17º país entre os maiores consumidores da bebida no mundo.

Para o sommelier Rodrigo Bertin, no entanto, é possível diminuir a distância entre o consumo de uma e outra bebida no mercado brasileiro. Segundo o especialista, existem sim razões para substituir a cerveja pelo vinho. “Trata-se de uma bebida muito mais flexível do que a maioria das pessoas pensam”, afirma.

 

Beber mais por menos

Muita gente acha que a cerveja é muito mais em conta do que um vinho, porém isso nem sempre é verdade. “Cada taça de vinho corresponde a um copo grande de chope e uma garrafa de vinho rende em média seis taças, o valor que você gastará para beber seis chopes será muito mais alto do que para consumir uma garrafa de vinho”, explica o sommelier.  Ainda de acordo com Bertin, é preciso derrubar o mito de que vinho bom é vinho caro. “Não, vinho bom é aquele que você gosta de beber e existem ótimos opções a menos de 30 reais”, afirma.

Automação Residencial ajuda a tornar a maior parte dos equipamentos eletrônicos da sua casa automático. Imagine controlar o ar condicionado, a televisão, as luzes, a cortina ou mesmo a irrigação do jardim com alguns cliques no seu iPhone ou no iPad. É a sua casa inteligente com automação residencial. SOLICITE ORÇAMENTO AQUI

Combina com qualquer prato

Cerveja combina com petisco, com churrasco, com pastel e feijoada. E o vinho também! “As pessoas associam o vinho a comidas sofisticadas e momentos especiais, mas ele pode sim acompanhar qualquer prato do seu dia a dia, desde o almoço em família até o futebol com os amigos”.

Segundo o especialista, o vinho não dá aquela sensação de estufamento e barriga cheia que a cerveja proporciona. “O vinho ainda possui propriedades adstringentes que ajudam na digestão de comidas muito gordurosas, como carnes e frituras”, diz o especialista.

Jogando a favor da saúde

Já foi comprovado cientificamente que o vinho também é um ótimo aliado da saúde. De acordo com o sommelier, a bebida possui propriedades antioxidantes, ajuda no bom funcionamento do coração e ainda possui ação antienvelhecimento.

“Em se tratando do combate à obesidade, o vinho também é muito mais benéfico, isso porque ele possui mais calorias, porém a quantidade de consumo de vinho se comparado com a cerveja é muito menor”, afirma Bertin.

VIAGEM – Conheça o primeiro trem de luxo da América do Sul

Não é de hoje que a Belmond, empresa especializada em experiências de luxo, investe no Peru. No total, já são seis hotéis no país: Belmond Miraflores Park (Lima), Palacio Nazarenas (Cusco), Hotel Monasterio (Cusco) , Sanctuary Lodge (Machu Pichu) e Rio Sagrado (Sacred Valey) e o recém-inaugurado Las Casitas (Arequita). Além disso, no portfólio estão também os trens Belmond Hiram Bingham e o novo Aldean Explorer.

belmond-andean-explorer-1024x683

Com design inspirado em elementos da cultura peruana, o Belmond Aldean Explorer percorre uma das rotas ferroviárias de maior altitude do mundo. Os cenários contemplados pelos viajantes vão de montanhas cobertas de neve e lagos a rebanhos de alpacas, lhamas e vicunhas.

Intimista, veículo tem capacidade para apenas 48 passageiros

São quatro tipos de cabines, todas decoradas com tecidos peruanos feitos à mão e lã de alpaca. A capacidade total do veículo é de 48 pessoas. Para acomodar os hóspedes, os vagões possuem diferentes tipos de ambientes: lounge com piano e drinques, spa, um vagão de observação e um deque aberto onde são realizados shows de música latina e servidos piscos. Este último é ideal para contemplar as paisagens.

andean-explorer-tren

No que diz respeito à experiência gastronômica, a viagem é comandada pelo chef-executivo Diego Muñoz, que serve pratos típicos da região, como o milho com queijo e tortellini de alpaca. Há, ainda, a possibilidade de participar de uma aula de ceviche.
Os passageiros podem optar por quatro rotas diferentes de, no máximo, duas noites: Montanhas Peruanas (Cusco, Lago Titicaca e Arequipa), Planícies Andinas e Ilhas de Descoberta (Arequipa, Lago Titicaca e Cusco), Espírito da Água (de Cusco a Puno) e Espírito dos Andes (de Puno a Cusco).

download

Já a nova propriedade, o Belmond Las Casitas, está localizado na região de Arequipa, sul do país, e conta com apenas 20 quartos, todos com terraço individual, piscina e vista para o cânion Colca. No complexo, também está o Spa Samay, que oferece tratamentos com ingredientes naturais do jardim do hotel.

Como ter hortas em ambientes fechados

Ter ervas frescas sempre à mão é um desejo daqueles que amam cozinhar. E se você acha que manter uma horta em casa é algo trabalhoso ou no mínimo requer espaço, se engana. O site Viva Decora, especializado em projetos de decoração, elegeu com a ajuda de especialistas na área 8 ideias criativas de hortas cultivadas na própria cozinha. Confira a seleção a seguir:

Espalhada pela cozinha

(Viva Decora/Divulgação)

No projeto assinado por Ana Cano Milman, a ideia é espalhar por toda cozinha vasos com mudas de temperos. Além de funcional, os vasos também ajudam na decoração do ambiente.

Pouco espaço

(Viva Decora/Divulgação)

Já para quem tem uma cozinha pequena, a própria pia pode servir de apoio para que os vasinhos de ervas fiquem reunidos em um único espaço. A vantagem é que é que os temperos estão sempre à mão. O projeto foi assinado pelo Archdesign Studio.

Uma parede de ervas

(Viva Decora/Divulgação)

Já neste projeto assinado pela Sandra Araújo, uma parede inteira foi usada para o cultivo das ervas. Para quem tem muito espaço, esse tipo de horta permite plantar diversos tipos de ervas.

automacao-residencial

Pendurada na parede

(Viva Decora/Divulgação)

Outra ideia de horta vertical bem fácil de ser montada e pendurar os vasos em uma espécie de cerca na própria parede. A vantagem é que os vasos podem ser retirados e regados na área externa da casa. O projeto é de Ana Cano Milman.

Plantada na bancada

(Viva Decora/Divulgação)

Esse projeto assinado por Cristina Bozian é um tanto criativo, já que as ervas são cultivadas em um espaço próprio da bancada principal da cozinha e bem perto do fogão para facilitar a vida do cozinheiro.

No lugar do balcão da cozinha americana

(Viva Decora/Divulgação)

Cozinha americana é sempre charmosa e funcional, mas tudo bem em transformá-la em um espaço para o cultivo de algumas ervas.  Neste projeto da Casa Cor Paraná, a horta ganhou até iluminação especial.

Em cima da prateleira

(Viva Decora/Divulgação)

Se a pia da cozinha é pequena, manter os vasos com ervas plantadas em uma prateleira também pode ser uma opção para quem tem pouco espaço. O Archdesign Studio é o responsável pelo projeto.

Na sala de jantar

(Viva Decora/Divulgação)

Se a cozinha não for tão espaçosa, manter uma horta vertical na sala de jantar também pode ser estratégico e de quebra ajudar na decoração do ambiente. Lorrayne Zucolotto assinou o projeto.