6 de novembro de 2018 admin

Casa automatizada? Realize o sonho do seu cliente com a automação residencial

A automação residencial fará com que, cada vez mais, casas inteligentes como a dos filmes e séries sejam uma realidade em nossas vidas.

Para destacar-se da concorrência, é importante ficar atento às principais novidades tecnológicas e tudo o que elas podem trazer para os clientes. Neste artigo, você vai conferir o que é esse conceito, suas principais vantagens e qual é o papel do arquiteto nesse tipo de projeto. Acompanhe!

O que é automação residencial?

O que é automação residencial?

Automação residencial: casas conectadas a dispositivos móveis A automação residencial nada mais é do que aplicar todas as tecnologias existentes hoje dentro da sua casa para facilitar tarefas que antes dependiam somente do morador.

Automação em casa é fazer com que todos os sistemas eletrônicos funcionem como um só, sob o nosso total controle e de acordo com nossos hábitos, necessidades e gostos. Parece bom, não?

Mas quando surgiu a automação residencial? O conceito surgiu na década de 1970, nos EUA, quando os primeiros sistemas automatizados de controle foram criados para aplicações industriais.

Imagina controlar tudo no seu lar por um tablet ou smartphone conectado à internet? Essa é a ideia de casa inteligente!

A cada ano, desde quando surgiu a automação residencial, novas soluções são lançadas no mercado sempre acompanhando as tendências de consumo.

Vantagens da automação residencial

Não são apenas a comodidade e o conforto que têm destaque na automação residencial. Segurança e até sustentabilidade também fazem parte dessa equação. Confira as principais vantagens que você pode oferecer ao cliente nesse tipo de projeto.

1. Segurança

Automação residencial: segurança

O primeiro e mais importante dos benefícios. Mesmo longe da sua residência, você consegue visualizar o que está acontecendo dentro e fora dela, por meio de aplicativos de câmeras integradas ao sistema de automação. Também é possível oferecer segurança às pessoas com alguma necessidade especial. No vídeo abaixo, temos um exemplo de casa inteligente adaptada para moradores na terceira idade:

2. Praticidade e Comodidade

Automação Residencial: praticidade e comodidade. Hoje, por exemplo, é possível acionar uma lâmpada estando longe de casa ou em qualquer lugar do mundo. Ligar o ar condicionado, a irrigação do jardim e a lareira são outros exemplos. Tudo isso ajuda as pessoas a ganharem tempo com bem-estar.

E mais, com o uso da chamada “internet das coisas” (IoT – Internet of Things, em inglês) é possível programar o GPS de seu caro ou celular para que ao se aproximar de sua casa, o ar condicionado seja ligado, a cafeteira prepare um café e a porta da garagem se abra assim que o carro se aproximar.

3. Cenas inteligentes

Automação residencial: cenas inteligentes É possível programar a automação residencial para, por exemplo, não mexer mais em nenhum ajuste do controle remoto da televisão.

Apertar a tecla “cena filme” significa que o ambiente irá ajustar-se de acordo com a preferência programada.

Exemplo: Você chegou à sua casa e quer assistir a um filme ou sua série preferida. Ao selecionar essa função, o home theater será ligado, a persiana fechada, a luz apagada e o ambiente será climatizado com a temperatura mais agradável para o momento.

4. Economia do consumo de energia

Automação residencial: consumo de energia  Existem alguns dispositivos e aplicativos na automação residencial que são capazes de gerenciar o consumo de energia de uma residência.

Com essa funcionalidade em mãos, é possível detectar onde estão os maiores consumos e economizar energia de forma racional. Uma casa automatizada também pode ser sustentável, reduzindo desperdícios não só de luz, como também de água.

O que pode ser feito em uma casa automatizada?

Com tantos benefícios, você já deve estar se perguntando o que fazer para criar uma casa segura, confortável e inteligente. Veja quais são os tipos de automação residencial e o que é possível fazer:

  • Automação da iluminação da casa: com os controladores de intensidade de luz e interruptores automáticos, você pode programar a iluminação para acender em configurações pré-salvas, como “iluminação para assistir filmes” e “iluminação para festas”.
  • Controle da iluminação à distância: com um smartphone ou um tablet, você pode apagar as luzes caso tenha esquecido alguma acesa, ou acendê-las para quando estiver chegando.
  • Sistema de som: você pode distribuir músicas e vídeos para todos os cômodos da casa, além de controlar o volume em casa um dos ambientes.
  • Sistema de irrigação de jardim: com os sensores de umidade do solo e temporizadores é possível automatizar a irrigação do jardim, mantendo as plantas sempre nas condições ideiais.
  • Sistema de segurança: além de visualizar as câmeras de segurança pela internet ou por apps, também é possível instalar sensores de fumaça, sprinklers e sistemas de comunicação direta com a polícia e empresas de segurança privada.
  • Biometria: com o toque de dedos, é possível controlar a luz e diversas outras funções da casa, além de, é claro, proteger a casa contra a entrada de pessoas não autorizadas.
  • Controle automatizado de cortinas e janelas: com sensores de luz e integração ao sistema de iluminação, é possível aproveitar ao máximo a luz natural e evitar que as luzes sejam acesas em momentos desnecessários.
  • Controle de temperatura: com esse sistema é possível acionar o ar-condicionado (ou o aquecedor) antes de chegar em casa, resfriando o ar aos poucos para alcançar a temperatura ideal.

Vale lembrar que para as automações mais complexas é necessário um aparelho ou aplicativo que funcione como central de automação, onde é possível controlar todos os sistemas da casa.

Tagged: